Quarta-feira, 01 de Abril de 2020

BRASIL
Quarta-feira, 25 de Março de 2020, 16h:21

Coronavírus

Em coletiva, Mandetta diz que testes rápidos aumentarão muito número de casos de coronavírus

Taxa de letalidade está na casa dos 2%

Midia Max

Em entrevista coletiva transmitida na tarde desta quarta-feira (25) nas redes sociais do Ministério da Saúde, o ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM) adiantou que quando começarem a serem usados os testes rápidos para identificar o novo coronavírus COVID-19, os números de infectados devem aumentar e muito em todo o País.

 

Já as mortes têm se mantido na taxa média de 2,4% dos casos. “Os óbitos são sempre absolutos”, informou o ministro, ao explicar que diferente dos casos confirmados, nos que resultam em morte normalmente é feito exame apontando a causa e, por isso, não há erro nos números.

No caso da contaminação, os dados mais precisos permitirão à população avaliar a dimensão do contágio da doença. “Isso vai ser mais um elemento pra que a própria população possa entender a dinâmica dessa virosa=e na nossa sociedade”, afirmou Mandetta.

Dados

Ao comentar os dados sobre a evolução da doença no País, Mandetta informou que o número está dentro do esperado, mas até o final de semana há previsão de panorama para o próximo mês.

“Nesses números me chamam bastante atenção alguns estados onde os focos já eram esperados”, afirmou o ministro em relação à região norte, contrastando com o Acre onde não estava prevista alta incidência da doença. Sobre a região sudeste, Mandetta informou que continua sendo ‘objeto de muita preocupação’.

Já em relação ao Distrito Federal e região Centro-Oeste, o ministro avaliou que o número de casos está concentrado em um território muito pequeno, mas que tem “capilaridade muito boa no setor da saúde”.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370