Domingo, 18 de Agosto de 2019

BRASIL
Terça-feira, 23 de Julho de 2019, 12h:12

Procon Municipal

Procon Campo Grande promove ação de conscientização ao atendimento preferencial às pessoas com autismo

Subsecretário de Proteção e Defesa do Consumidor, Valdir Custodio

O Procon Campo Grande realizará  uma ação de conscientização ao atendimento preferencial aos portadores de TEA (Transtorno Espectro Autista).  As equipes visitarão os comércios do Centro e shoppings de hoje (23) a próxima sexta-feira (26),  visando o cumprimento da Lei, destacando que seu descumprimento pode acarretar ao fornecedor uma multa fixada em R$ 800,00 (oitocentos reais), com acréscimo de 50% (cinquenta por cento) em caso de reincidência.

A Lei Municipal 5.917/17 torna obrigatório o atendimento preferencial às pessoas com Transtorno do Espectro Autista  nos estabelecimentos públicos e privados do Município de Campo Grande.

“Há de ser respeitado o direito em todas as suas facetas, independentemente do aspecto especial que possua o seu destinatário. Nesse viés, o respeito aos portadores de TEA (Transtorno Espectro Autista), recebe do Procon Municipal, uma atenção, toda ela especial, para que a Lei seja cumprida, o direito respeitado, e as pessoas tratadas condignamente”, pontua o subsecretário do Procon Municipal, Valdir Custódio.

“É importante lembrar que é obrigatório aos estabelecimentos públicos e privados inserirem nas placas de atendimento prioritário o símbolo mundial do TEA. O símbolo a ser inserido nas placas de atendimento prioritário refere-se ao constante no anexo único da presente lei, o qual é representado por uma fita feita de peças de quebra-cabeças coloridas, que representa o mistério e a complexidade desta patologia”, completa Valdir Custódio.

De acordo com o psicólogo Rodrigo Batista Torraca, antes o diagnóstico fechado de “autismo” limitava inclusive o tratamento. Quando se mudou o termo para o TEA, deu inúmeras possibilidades, até mesmo de entendimento quanto ao que se refere o transtorno.

“Há um leque enorme de características e graus relacionados ao autismo e é nesse sentido o uso do termo ´espectro` (amplitude, intensidade)”, frisa Rodrigo.

WhatsApp-Image-2019-07-22-at-12.15.11-1024x1024.jpeg

 

Rodrigo comenta ainda que é imprescindível o atendimento preferencial às pessoas com TEA. “São tantas características diferentes dentro do próprio espectro, que não conseguiríamos numerar todas. Sabemos que o atendimento em órgãos públicos é, muitas vezes, demorado, e a pessoa com TEA não dá conta de tantos estímulos ao mesmo tempo. Uns não processam o toque; outros são hipersensíveis a sons, não compreendem sinais, que para pessoas neurotípicas (que não tem TEA) seriam simples”, explica.

“Por exemplo: fazer um sinal de PARA, feito com a mão espalmada, a pessoa com TEA entende como um gesto quantitativo, como se estivesse mostrando-lhe o número cinco. Esses estímulos podem ser extremamente nocivos e desconfortáveis para a pessoa com TEA e priorizar o atendimento, diminuindo o tempo de espera seria de extrema ajuda na diminuição desse desconforto”, complementa.

A pedagoga, psicopedagoga e neuropsicopedagoga, especialista em educação especial e avaliação precoce no rastreio do autismo, Cristiane Alcantara, que tem um filho de 8 anos portador de TEA, avalia que Campo Grande já melhorou muito, mas possui muitos pontos a serem melhorados.

“Tem lugares que entro na fila de prioridade, quando estou com ele, que além de olharem torto, a caixa pergunta:  qual sua prioridade? é preciso pegar o laudo e provar. Daí ficam sem graça. Em Campo Grande, está avançando, mas falta muita qualificação, principalmente pela associação comercial. Os comerciantes precisam preparar seus funcionários quanto à legislação e direitos de ambas as partes”, finaliza Cristiane.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370