Domingo, 26 de Maio de 2019

COLUNISTAS
Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2019, 09h:24

Bosco Martins

Blog do Bosco

Prática, concisa é a resenha diária de Bosco Martins. Em poucos minutos você já sai de casa sabendo o que há de importante.

Idade mínima para aposentadoria

Um dos temas polêmicos na reforma da Previdência foi solucionado nesta quinta. Pela proposta decidida com Bolsonaro, haverá idade mínima para aposentadoria de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) e um período de transição de 12 anos. Segundo o secretário da Previdência, Rogério Marinho, Bolsonaro preferia uma transição mais longa e idade mínima de 60 anos para as mulheres, mas “entendeu as condições da economia”. A aposentadoria poderá ser pedida em três situações: idade, tempo de contribuição com pedágio ou um sistema de pontuação que combina os dois. O mercado financeiro gostou, com a Bovespa fechando em alta de 2,27% e o dólar recuando para R$ 3,74. Se aprovada pelo Congresso na forma como ficou definida hoje, a economia será de R$ 1,1 trilhão em dez anos, segundo o ministro Paulo Guedes.

Os líderes dos partidos aliados não estão otimistas. Na avaliação deles, a idade mínima será modificada no Congresso. José Rocha, líder do PR na Câmara, acha que a equipe econômica colocou “a idade para cima” a fim de negociar. Mesmo quem apoia pessoalmente o projeto prevê dificuldades de explicar a proposta a suas bases. Além disso, ganha corpo na Câmara resistência a qualquer mudança na aposentadoria rural. (Folha)

Míriam Leitão: “Haverá idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres, após um período de transição de 12 anos. A principal informação que falta aqui é o ponto de partida. A partir de que idade se iniciará a transição? Sem isso, os economistas terão que arbitrar uma idade para fazer os cálculos de economia com a proposta. As bolsas subiram porque Bolsonaro chegou a falar em idades mínimas de 62 anos para homens e 57 anos para mulheres. Mas ainda faltam muitos detalhes para se saber o impacto fiscal da reforma Bolsonaro.” (Globo)

Ontem falamos de uma reportagem da revista Época, naquele momento disponível somente via app, em que Bruno Abbud detalha as investigações da PF sobre Adélio Bispo, o homem que tentou matar Bolsonaro. O texto já está disponível na internet.

A Lava-Jato prendeu esta manhã, no Rio, Régis Fichtner, ex-secretário da Casa Civil de Sérgio Cabral. Ele é acusado de receber R$ 1,56 milhão em propinas. (Globo)

Diante dos crescentes sinais de que a Vale sabia dos riscos da barragem em Brumadinho, cujo rompimento matou 165 pessoas, o presidente da empresa, Fabio Schvartsman, adotou um tom ufanista e emocional ao dizer no Congresso que a Vale é “uma joia nacional”que não pode “ser condenada por um acidente”. Já o MPF afirma que a tragédia foi resultado de uma política deliberada de privilegiar o lucro em detrimento das vidas.

Convencido de que os democratas não vão lhe dar dinheiro para fazer um muro na fronteira com o México e diante do risco de uma nova paralisação do governo, o presidente Donald Trump saiu pela tangente. Anunciou que assinará o acordo de orçamento negociado com a oposição, mas vai decretar estado de emergência e usar verba militar para a obra. Ainda há uma discussão no Congresso para saber se a medida de Trump é legal ou não, e os democratas prometem combatê-la.  (Globo)

Sinal dos tempos. Sarah Sanders, assessora de imprensa da Casa Branca, anunciou a decisão de Trump usando o app Notes, em vez dos canais de comunicação convencionais.

O anúncio veio no mesmo dia em que circulou a notícia de que autoridades do Departamento de Justiça cogitaram usar a 25ª Emenda da Constituição para depor Trump por suspeitas de obstrução de justiça. (Globo)

VIVER

O relator de uma das ações que pedem no STF a criminalização da homofobia e da transfobia, o ministro Celso de Mello, não terminou seu voto na sessão de ontem. Ele defendeu os direitos da população LGBT e criticou a “inércia” do Congresso em legislar sobre o tema. A retomada do julgamento foi marcada para a próxima quarta-feira.

Aqui, o voto do ministro em cinco frases — inclusive um recado à ministra Damares Alves.

A Nasa anunciou ontem que selecionou uma nova missão que vai procurar ingredientes da vida em nossa vizinhança. Batizado de Spherex, o observatório espacial previsto para ser lançado em 2023 fará um levantamento ótico e infravermelho em que deverá coletar dados de mais de 300 milhões de galáxias distantes e 100 milhões de estrelas na nossa Via Láctea ao longo de dois anos. O custo: mais de R$ 1 bilhão. O Spherex faz parte do Programa de Exploração Astrofísica da Nasa e concorria com outras oito propostas por sua concretização. (Globo)

Cientistas descobriram evidências que apontam para um ancestral desconhecido dos humanos. A descoberta veio depois de vasculhar o genoma humano usando uma inteligência artificial. Segundo um estudo publicado no Nature Communications, esse ancestral existiu por volta de 80 mil anos atrás. A nova evidência poderia explicar as ligações genéticas entre humanos modernos e nossos primos ancestrais, os denisovanos e neandertais. O fato dos Homo sapiensterem cruzado com essas duas espécies de hominídeos não é suficiente para explicar todos os remanescentes genéticos inexplicáveis encontrados no genoma humano moderno. A ideia de que um terceiro ancestral humano houvesse intercruzado com humanos ancestrais parecia plausível, mas até recentemente não havia provas para apoiar a sua existência.

CULTURA

Um  jovem Erasmo Carlos estreia nos cinemas esta semana. Em Minha Fama de Mau (trailer), Chay Suede interpreta o cantor que, fã de Elvis Presley, Bill Halley & The Comets e Chuck Berry, aprende a tocar violão e passa a perseguir a ideia de viver da música. Gabriel Leone é Roberto Carlos e Malu Rodrigues é Wanderléa. Outro brasileiro também chega às telonas: a animação Tito e Os Pássaros (trailer), que foi pré-indicada ao Oscar. No filme, Tito é um menino destemido que nutre grande simpatia pelos pássaros. Ao tentar criar uma máquina para traduzir a linguagem das aves, ele descobre uma maneira de curar o medo. E tem ainda a estreia de A Mula (trailer), que tem no elenco Clint Eastwood — que também é diretor do longa —, Bradley Cooper e Laurence Fishburne. No filme, um homem de 90 anos, falido e afastado da família, aceita um emprego para transportar encomendas pelo país afora. Sem saber, se torna mula de um cartel de drogas. Veja as outras estreias da semana.

Sucesso da Netflix no ano passado, a comédia romântica A Barraca do Beijo terá continuação. O filme já está em produção, mas ainda não tem data para estrear na plataforma.

E o Oscar decidiu não transmitir na TV quatro categorias na cerimônia deste ano: fotografia, montagem, curta-metragem e maquiagem. Os prêmios serão anunciados durante os intervalos comerciais. Muita gente não gostou. Críticos dizem que a medida representa uma desvalorização dessas categorias. (Folha)

COTIDIANO DIGITAL

A Amazon abandonou o projeto de construir uma de suas “segundas sedes” na cidade de Nova York devido a pressões da comunidade e políticos locais, embora contasse com o apoio do prefeito Bill de Blasio e do governador Andrew Cuomo. Baseada em Seattle, no Noroeste dos EUA, a empresa de Jeff Bezos pretendia montar duas sedes na Costa Leste e, após um longo “leilão” em que exigia benefícios fiscais, escolheu Nova York e Arlington, no norte da Virgínia. A expectativa era gerar 25 mil empregos em cada uma das sedes. Mas a Amazon não esperava a reação em Nova York, motivada em grande parte pelo peso das isenções fiscais sobre os contribuintes. A construção da sede na Virgínia está mantida.

Nem Facebook, nem Tinder, nem joguinhos. O aplicativo mais baixado na App Store da China tem o excitante nome de “Estude a Grande Nação”, foi desenvolvido pelo Partido Comunista Chinês e destaca, dia sim, dia também, as decisões do presidente Xi Jinping. O engajamento no aplicativo rende “pontos de estudo” e promete brindes no futuro. E é aí que mora o perigo. Desde 2014 a China desenvolve um sistema de “créditos sociais” que observa o comportamento do cidadão e envolve punições a quem tiver comportamento considerado inadequado pelo governo.

Fonte: @Meio

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370