Saúde
10.08.2017 | 08h49 - Atualizado em 10.08.2017 | 09h19
Tamanho do texto A- A+

Terapia complementar vai auxiliar no tratamento de pacientes que querem largar o cigarro

Os pacientes que desejam parar de fumar e que fazem tratamento na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) José Abrão agora contam uma terapia complementar: a auriculoterapia. A novidade foi implantada no Grupo de Tabagismo da unidade e vai atender os 11 integrantes. O tratamento é exclusivo para pacientes de cada unidade onde há este tipo de serviço.

A primeira sessão do Grupo aconteceu nesta quarta-feira (08) e os pacientes foram orientados pela equipe do Núcleo de Atenção a Saúde da Família (NASF) Seminário. “A auriculoterapia tem fundamentação na medicina tradicional chinesa, que nós temos todos os pontos do organismo na orelha. Para o tabagismo, nós estamos alcançando muito sucesso no protocolo, além do acesso à medicação em casos necessários”, explicou a farmacêutica Ana Helena da Silva Gimenes, que integra os profissionais do Nasf.

A Audineia Pires de Freitas (31), fumante há 16 anos e que agora faz parte do Grupo de Tabagismo da unidade achou interessante a novidade. “Nós vamos aprendendo, também, outras terapias que podem ajudar a parar de fumar. Eu já tentei várias vezes e não consegui. Agora, acredito que vou conseguir”, disse ela.

“Na auriculoterapia são fixados adesivos com sementes de mostarda em pontos específicos na orelha. Deste modo, o paciente pode pressionar o ponto que está relacionado com terminações nervosas. Assim, alcançamos uma melhora no equilíbrio do organismo”, frisou Gimenes.

Os integrantes do Grupo de Tabagismo serão acompanhados pelos profissionais de saúde e receberão atendimento médico na UBSF. Os adesivos serão trocados a cada semana e os pacientes devem pressionar os locais aplicados ao menos 4 vezes ao dia, ou quando sentirem necessidade para aliviarem a tensão da abstinência do cigarro.

Auriculoterapia
É uma técnica originada a partir da Medicina Tradicional Chinesa que utiliza a orelha como um microssistema, ou seja, considera que no pavilhão auricular está representado todo o corpo humano. Sendo assim, ao estimular pontos específicos na orelha, produzem-se efeitos à distância. Sua aplicação é rápida, prática e de baixo custo, se mostrando uma ferramenta de grande potencial para o dia a dia das unidades de saúde.

A auriculoterapia faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PICs) do Sistema Único de Saúde (SUS). Os procedimentos são voltados à cura e prevenção de doenças.

Tabagismo
A dependência ocorre pela presença da nicotina nos produtos à base de tabaco. A dependência obriga os fumantes a inalarem mais de 4.720 substâncias tóxicas, como: monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, além de 43 substâncias cancerígenas, sendo as principais: arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de agrotóxicos e substâncias radioativas.


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para Governador de MS?

André Puccinelli (PMDB)

Reinaldo Azambuja (PSDB)

Odilon de Oliveira (PDT)

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados