Governo do Estado
10.05.2018 | 09h40 - Atualizado em 10.05.2018 | 09h44
Tamanho do texto A- A+

Parceria viabiliza primeiro projeto com recursos do FDS para a Capital, beneficiando 352 famílias

Paulo Yafusso

Para o casal Rosa Maria do Nascimento Pereira da Silva, 60, e Airton Pereira da Silva, 67, a noite dessa quarta-feira (9.5) foi o fim de uma espera de mais de uma década. A família é uma das 352 da Capital que assinaram contratos para receber a casa própria, resultado da união de esforços e de investimentos do Governo do Estado, Prefeitura e Governo Federal.

Chico Ribeiro

.

 

Essas famílias foram contempladas pelos primeiros projetos habitacionais da história de Campo Grande a receberem recursos do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS), no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida. Serão investidos R$ 38,6 milhões, sendo R$ 5,16 milhões do governo estadual e R$ 358,8 mil da prefeitura. Foram atendidas famílias com renda familiar mensal de até R$ 1.800,00.

São 160 unidades a serem construídas no condomínio residencial Jardim Mato Grosso e 192 moradias no condomínio residencial Armando Tibana. Durante a solenidade na quadra de esportes da EE Joaquim Murtinho, no Centro da Capital, o governador Reinaldo Azambuja falou que a parceria é fundamental para dar acesso às famílias moradia digna e a melhoria da qualidade de vida.

Chico Ribeiro

.

 

“Quando a gente constrói parcerias a gente consegue diminuir os problemas vivenciados pela sociedade. E esse programa é muito interessante porque o cidadão assina o contrato e acompanha a evolução da obra junto com a empresa que vai edificar”, afirmou.

“A minha vontade era abrir uma champanhe para comemorar, de tanta felicidade em receber a nossa casa”, resumiu a dona de casa Rosa Pereira da Silva. Ao participar da solenidade para a assinatura dos contratos ela e o marido fizeram questão de agradecer ao governador Reinaldo Azambuja. “Agradeci o governador pela atitude e o parabenizei pelo que tem feito para o nosso Estado”, afirmou o pintor aposentado Airton da Silva.

“Ficamos muito felizes quando recebemos a notícia de que vamos ter a nossa casa”, comentou Arquilei Gomes de Abreu, 42 anos. Ele e a mulher Ana Lúcia Barbosa de Oliveira Abreu, aguardavam há seis anos uma moradia definitiva para criar as duas filhas. Para ele, o contrato assinado na noite desta quarta-feira é o início para sair do aluguel de R$ 550.

O prefeito Marquinhos Trad também falou para os contemplados pelas moradias, que a maior alegria como gestor é entregar moradias às famílias. “É a primeira vez Campo Grande recebe recursos do Fundo de Desenvolvimento Social para habitação, e isso é resultado de uma luta, uma batalha da Prefeitura e do Governo do Estado, e que as chaves que estas famílias estão recebendo não sirva apenas para abrir a porta, mas também para trazer alegria e prosperidade”, afirmou.

Edmar Cintra, presidente do Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM) no Estado, destacou outro aspecto importante dos projetos habitacionais desenvolvidos pelo Governo do Estado é a participação das entidades sociais.  Além do MNLM participa de alguns projetos o Consórcio Solidário (Conssol).

Além dos contemplados pelo projeto habitacional, participaram da solenidade os secretários de Estado de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis; de Infraestrutura, Helianey Paulo da Silva; o superintendente da Caixa Econômica Federal (CEF), Evandro Narciso de Lima; o deputado estadual, Rinaldo Modesto; o vereador João César Mato Grosso, a diretora-adjunto da Agehab, Ilídia Miglioli; o diretor-presidente da Empresa Municipal de Habitação (Emha), Enéas José Carvalho Neto; dirigentes do Conssol e servidores da Agehab, Emha e CEF.


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Confira também nesta seção:

Sua Opinião

Você é a favor do porte de armas para qualquer pessoa?

Sim

Não

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados