Vereador
05.10.2017 | 14h09 - Atualizado em 05.10.2017 | 15h07
Tamanho do texto A- A+

Vereador Ademir Santana recebe apoio de outros vereadores para lutar por modificação em taxas mínimas de água e esgoto

Desde que assumiu o mandato, o vereador Ademir Santana tem lutado para que seja feita uma reavaliação e possível redução das taxas mínimas de água e esgoto em Campo Grande, que hoje estão em 10m³ para a água e de R$ 35,00 a R$ 75,00 para o esgoto.


O parlamentar admite que a legislação sobre a redução é de responsabilidade do poder executivo municipal, porém, ele destaca que é dever da Câmara Municipal fiscalizar e zelar pelo bem-estar dos campo-grandenses em qualquer situação.

“Ninguém está dizendo que a Câmara pretende legislar sobre o que não é de competência dela. Mas, como cidadãos e munidos do cargo público que foi dado aos vereadores pelo voto popular, nós não podemos fingir que não estamos vendo o que acontece”, disse Ademir Santana.

Em pronunciamento durante sessão na casa de leis, Ademir lembrou que hoje a Águas Guariroba é campeã de reclamações junto ao Procon, sobretudo no que diz respeito a cobranças abusivas, incluindo as taxas mínimas. Ele lembrou que em outros municípios como São Paulo, Belo Horizonte e Bahia, as taxas chegam a ser a metade do que é cobrado em Campo Grande.

“É um absurdo famílias que têm seus imóveis fechados ou gastam no máximo 2m³ de água por mês, serem obrigados a pagar 10m³. Considero isso abusivo e vou até o fim para entender que conta é essa que a empresa de saneamento faz. Não dá para ficar priorizando só lucro, é preciso entender o quanto é justo as pessoas pagarem”, desabafou.

Diante disso, outros vereadores declararam apoio total à indignação do vereador. Júnior Longo, Papy, Carlão e o próprio presidente da Câmara, João Rocha, demonstraram apoio e solicitaram que Ademir busque todos os subsídios necessários para que a prefeitura e a Águas Guariroba se pronunciem adequadamente sobre o assunto.

O vereador ainda fez questão de ressaltar que de janeiro para cá enviou vários ofícios à Águas Guariroba, mas sempre obteve respostas vazias e inconsistentes, sob o pretexto de que não é de sua competência questionar a empresa que fornece os serviços na capital. Diante disso, Ademir já entrou em contato também com a prefeitura para que as respostas fossem dadas. “Confio no equilíbrio e senso de justiça que tem o prefeito Marquinhos Trad, mas também não podemos esperar mais. Há muita gente passando por problemas sérios, porque não consegue cumprir com seus compromissos por conta dessa taxa que eu considero absurda. Se precisar, vamos convocar uma audiência pública para deixar tudo às claras”.

Por fim, Ademir lembrou que existe uma taxa social, para tentar fazer justiça aos altos preços das taxas mínimas, mas que o cidadão de menor renda, que é quem deveria usufruir do benefício, por conta das exigências burocráticas não consegue ter seu custo reduzido, o que, segundo ele, torna o caso ainda mais grave. Ademir promete não dar trégua à concessionária até que uma medida justa e coerente seja tomada.

Guto Dobes
Assessoria de Comunicação do Vereador

Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para Governador de MS?

André Puccinelli (PMDB)

Reinaldo Azambuja (PSDB)

Odilon de Oliveira (PDT)

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados