Tribunal de Contas
06.11.2017 | 15h02 - Atualizado em 06.11.2017 | 12h54
Tamanho do texto A- A+

Marisa e Cabral aposentam e abrem vagas no Tribunal de Contas do MS

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) concedeu aposentadoria aos conselheiros do TCE (Tribunal de Contas Estadual) Marisa Serrano e José Ricardo Cabral. Com esta oficialização, abrem duas vagas no Tribunal, que devem ser preenchidas pelo deputado estadual, Flávio Kayatt (PSDB) e o secretário estadual de Fazenda, Márcio Monteiro.


O Campo Grande News havia adiantado que os dois conselheiros tinham dado entrada no processo de aposentadoria na última semana de outubro, sendo o ato oficializado e publicado hoje (06), no Diário Oficial do Estado.

Marisa explicou que já havia planejado se aposentar aos completar 70 anos, por entender que já tinah feito sua contribuição na vida política e pública e não ficaria até os 75 anos, data limite. A ex-senadora ressaltou que contribuir com seu trabalho no Congresso Nacional e ainda pode ajudar na modernização do Tribunal de Contas.

José Ricardo Cabral também adiantou que se aposentou para "descansar". Ele havia entrado no Tribunal em 01 de dezembro de 2006, exercendo ao longo deste período, o cargo de vice-presidente do colegiado. Ele tinha decidido se aposentar em dezembro de 2014, no entanto o processo que foi finalizado, inclusive com a escolha do ex-deputado Antônio Carlos Arroyo para seu lugar, foi cancelado pela Justiça.

Cabral então continuou como conselheiro por mais 2 anos e 11 meses, saindo neste momento, junto com Marisa Serrano. A sua vaga pertence ao governo estadual, que deve indicar o secretário estadual Márcio Monteiro, para substituí-lo.

Já a vaga de Marisa Serrano é da Assembleia Legislativa, e segundo apurou o Campo Grande News ficará com o deputado Flávio Kayatt, que já adiantou que tem conversado com os colegas, para que a indicação seja de consenso, com o apoio dos parlamentares.

Nos bastidores ainda tem a informação que mais dois conselheiros devem se aposentar no Tribunal, inclusive já teriam conversado com o governador. A princípio os nomes seguem em sigilo, e esta saída pode ocorrer em meados do ano que vem.

Disputa - O ex-deputado Antônio Carlos Arroyo, que havia sido indicado pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB), para vaga de José Ricardo Cabral, no final de 2014, mas não assumiu, pode voltar a requisitar o cargo. Naquela época, o processo de aposentadoria do conselheiro foi anulado e a questão foi judicializada, com decisões favoráveis ao Tribunal.

Arroyo ressaltou que está "tranquilo" sobre a situação e que seus advogados estão incumbidos de cuidar da questão. José Wanderley Bezerra, que representa o ex-deputado, adiantou que vai esperar a oficialização da aposentadoria de Cabral, para avaliar os termos jurídicos para seu cliente.

Fonte: MSnoticias

Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para Governador de MS?

André Puccinelli (PMDB)

Reinaldo Azambuja (PSDB)

Odilon de Oliveira (PDT)

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados