Dia das Crianças
04.10.2017 | 17h50 - Atualizado em 04.10.2017 | 13h19
Tamanho do texto A- A+

Dia das Crianças: Pesquisa do Procon aponta variação de até 230% nos preços de brinquedos

Campo Grande (MS) – A Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), divulga nesta quarta-feira (4.10) a pesquisa do Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro. O levantamento realizado na Capital aponta variação nos preços dos brinquedos de até 230% entre as 10 lojas consultadas.


A pesquisa foi realizada de 25 a 29 de setembro e inclui 101 itens como bicicletas, bonecas e bonecos de personagens infantis, jogos, carrinhos e pistas, entre outros artigos. O levantamento completo pode ser consultado no site do Procon-MS, , no item Pesquisa de Preços ou aqui.

O objetivo da pesquisa realizada pelo Procon-MS é oferecer aos consumidores referências de preços dos estabelecimentos comerciais de Campo Grande. O superintendente Marcelo Salomão acrescenta que a pesquisa apresenta também o número de itens coletados por loja e análise dos locais com maior número de produtos de maior e de menor preço. Os fornecedores informam que os preços que constam na pesquisa são válidos até a data anunciada no panfleto ou enquanto durarem os estoques.

Dicas para a compra de presentes do Dia das Crianças

O Procon-MS orienta os consumidores sobre a importância de pesquisar e comparar os preços e também verificar a qualidade e segurança dos brinquedos a serem adquiridos, além da faixa etária para a qual o produto se destina. Para evitar acidentes de consumo, o brinquedo deve ser compatível com a idade da criança.

Marcelo Salomão acrescenta que é preciso verificar a durabilidade do brinquedo e observar se o item apresenta o selo do Inmetro, que atesta se foi fabricado de acordo com as normas técnicas. Outra dica é comprovar se o item corresponde ao que é apresentado nos anúncios publicitários e nas ofertas, tanto em relação ao preço quanto ao modelo do produto. Além disso, é preciso observar se o brinquedo terá custos adicionais, com a aquisição de pilhas, por exemplo. Todas as informações, inclusive o manual de instruções, deve estar em português.

Na compra, os consumidores devem exigir a nota ou cupom fiscal e testar o produto. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), caso o produto apresente defeito, o fornecedor tem 30 dias a partir do dia da reclamação para resolver o problema. Passado esse prazo, o consumidor tem direito à restituição do valor pago, corrigido monetariamente, abatimento proporcional no preço ou substituição do produto por outro da mesma espécie e em perfeitas condições de uso.

O que é preciso para registrar reclamação no Procon?

Para registrar uma reclamação, o consumidor precisa se dirigir pessoalmente ao Procon com documento de identificação pessoal com foto, original e cópia, e documentos que comprovem a relação de consumo como notas fiscais, faturas, boletos etc. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, na rua 13 de Junho, 930, no Centro da Capital. O telefone de contato é o (67) 3316-9800. O Procon conta ainda com o número 151, por meio do qual os consumidores podem esclarecer dúvidas que envolvam relações de consumo.

Keyla Tormena – Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS)

Fotos: Gabriel Boscarski  – Fiscalização Procon-MS

Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Qual sua opinião sobre o transporte publico de Campo Grande depois que assumiu o consórcio guaicurus.

Ótimo

Regular

Péssimo

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados