Páscoa
27.03.2018 | 08h36 - Atualizado em 27.03.2018 | 09h38
Tamanho do texto A- A+

62% dos campo-grandenses comprarão presentes de Páscoa nesta semana

ndice é apontado em pesquisa realizada pelo Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande, encomendada da ACICG.

Os poucos dias que antecedem a Páscoa serão movimentados no comércio de Campo Grande. O levantamento produzido pelo Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande, a pedido da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), revela que, dos 92% dos entrevistados pretendem presentear na Páscoa, 62% comprarão produtos nesta semana. A pesquisa de intenção de compra para a festividade foi produzida na primeira quinzena de março, com entrevistas de 537 pessoas, em sete regiões da Capital: Segredo, Prosa, Lagoa, Imbirussu, Anhanduizinho, Bandeira e Centro.

.

 

“A Páscoa é mais uma data importante para a economia, que movimenta, principalmente, os supermercados e lojas especializadas em chocolate, envolvendo desenvolvimento dos produtos, produção, vendas e distribuição, gerando emprego e renda e oportunidades para empreender”, explica o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro.

O ovo de chocolate está no topo da lista de presentes, com 59% da preferência, e, em segundo lugar, com 19%, aparece a caixa de bombons. Barra de chocolate (11%), cestas de bombons (3%) e chocotone (2%) foram outras opções citadas com menor incidência. Grande parte dos campo-grandenses também deve levar para casa mais que um produto, já que 29% deles presentearão duas pessoas e 62% apontaram que presentearão de três a seis pessoas. Filhos (25%); mãe (19%); e cônjuge (16%) foram os principais apontados a receberem os presentes.

 

Ainda segundo o estudo, 32% dos entrevistados pretendem gastar até R$ 50,00 e 26% estimam investir entre R$ 91,00 a R$ 130,00. “Se analisarmos as faixas de R$ 50,00 até R$ 210,00, temos um número de 94% dos entrevistados que poderão gastar até R$ 210,00 no comércio de Campo Grande adquirindo presentes para a Páscoa,” esclarece a coordenadora do curso de Administração da Centro Universitário Anhanguera, Michelle Rosa, responsável pela pesquisa. Os locais mais citados para compra foram as lojas do Centro, com 32% da preferência, e os supermercados, com 29% de escolha.

 

A forma de pagamento mais apontada (62%) foi a opção à vista (dinheiro e cartão de débito), o que representa uma boa notícia para a economia de Campo Grande, avalia o presidente da ACICG. “Com dinheiro na mão, as chances de negociação são maiores. O comerciante pode criar estratégias conforme o volume da venda e o cliente pode ser atraído pelos descontos, por exemplo. Percebemos que os consumidores estão mais seletivos para não comprometer o orçamento, tanto que este levantamento sinaliza que 77% dos entrevistados realizarão pesquisas de preços antes de efetivarem suas compras”, explica João Carlos Polidoro


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Você é a favor do porte de armas para qualquer pessoa?

Sim

Não

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados