14.06.2018 | 08h38 - Atualizado em 14.06.2018 | 08h39
Tamanho do texto A- A+

Prefeitura de Campo Grande quer rescindir contrato com a Flexpark

Ação na Justiça pede o pagamento dos valores atrasados e multa

Correio do Estado

O contrato entre a Prefeitura de Campo Grande e a empresa Metro Park Administração Ltda, conhecida como Flexpark, será rescindido em 60 dias. O pedido para a anulação do acordo partiu do próprio Executivo, que há 30 dias solicitou a medida junto à Agência de Regulação dos Serviços Públicos (Agereg). Além da rescisão, a administração municipal também pede na Justiça o pagamento de mais de R$ 3 milhões relativos ao não repasse da outorga mensal do serviço e multa por descumprimento do contrato.

.

 

O procurador jurídico da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Thiago Loureiro, que fez o pedido de rescisão, explica que a Flexpark atrasou por vários períodos, ao longo do ano passado, os repasses que deveriam ser feitos mensalmente. “Ficava três, quatro meses sem pagar, e aí, quando ia vencer o quarto mês, eles pagavam. Notificamos extrajudicialmente para que pagassem em dia, pois como estava era errado. Pediram prorrogação de 15 dias no prazo. Mas continuaram atrasando. O contrato prevê multa de 3% em cima do valor global, que é de R$ 15,8 milhões”.

Desde que a ação foi ingressada, em setembro do ano passado, a Flexpark deixou de fazer o repasse da outorga. Ou seja, além da ação inicial de aproximadamente R$ 2 milhões (R$ 1,580 milhão só da multa contratual), a previsão é de que a empresa deva total de mais de R$ 1,5 milhão só de repasses (o que representa 28,5% ao mês da arrecadação).


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Você é a favor do porte de armas para qualquer pessoa?

Sim

Não

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados