Operação Ágata V
08.08.2012 | 09h19 - Atualizado em 08.08.2012 | 10h20
Tamanho do texto A- A+

Ministro da Defesa vem hoje a MS para acompanhar operação Ágata

Kemila Pellin - Jornal do Ônibus

Celso Amorim, ministro da Defesa, vem ao estado para acompanhar as ações da operação Ágata V, realizada pelas Forças Armadas em toda região de fronteira do País. A previsão é que Amorim chegue a Ponta Porã às 15h.

 

Iniciada na segunda-feira (5), a operação tem participação efetiva da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de oito ministérios e 20 agências reguladoras e entidades federais, estaduais e municipais.

 

Cerca de 10 mil militares e civis, equipados com helicópteros de combate, navios-patrulha, aviões de caça e blindados, estão atuando na repressão e fiscalização de crimes, nas fronteiras do Paraguai, a Argentina e o Uruguai. Uma área de quase 3,9 mil quilômetros que abrange desde o Chuí – no extremo Sul do país – até o município de Corumbá. A operação Ágata 5 deve ser concluída na segunda quinzena de agosto.

 

A Marinha enviou aproximadamente 30 embarcações para os rios da Bacia do Prata, entre elas três navios de guerra e um navio-hospital.

 

A Força Aérea Brasileira (FAB) participa da operação com esquadrões de caças F5 e Super Tucano, além de aviões-radar e veículos aéreos não tripulados.

 

O Exército mobilizou infantaria e blindados Urutu e Cascavel de três divisões. As três Forças usam ainda helicópteros Black Hawk e Pantera, para transporte de tropas e missões de ataque.

 

O general Carlos Bolivar Goellner, comandante militar do Sul, disse que a área crítica de patrulhamento é entre as cidades de Foz do Iguaçu, no Paraná, e Corumbá, em Mato Grosso do Sul, onde acontece a maior incidência de tráfico de drogas e contrabando.

 

Pelos dados do governo, houve quatro edições da operação em diversas regiões de fronteira. Amorim lembrou que, em operações anteriores, a Venezuela e a Colômbia cooperaram com os brasileiros, fazendo ação semelhante de seu lado da fronteira.

 

Nas quatro primeiras operações, foram apreendidas mais de 2,3 toneladas de drogas, 302 embarcações irregulares e 59 armas. As Forças Armadas também dinamitaram quatro pistas de pouso clandestinas e fecharam oito garimpos e cinco madeireiras ilegais. Também foram realizados 19 mil atendimentos médicos e 21 mil odontológicos para populações isoladas ou carentes.

Começou a Operação Ágata V  

 

 

 


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Você é a favor do porte de armas para qualquer pessoa?

Sim

Não

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados