Justiça
09.01.2018 | 10h03 - Atualizado em 09.01.2018 | 09h44
Tamanho do texto A- A+

Justiça manda suspeito de esquartejar mãe para ala de saúde da Penitenciária Estadual de Dourados

DouradosAgora

O homem suspeito de esquartejar a mãe, uma veterinária de 60 anos, vai ficar internado na ala de saúde da Penitenciária Estadual de Dourados (PED). O crime aconteceu em dezembro de 2017, na casa da família no Parque Alvorada.

.

Segundo despacho da Justiça, "o impossível encaminhamento do suspeito para estabelecimento localizado em outro Estado da Federação, dificultaria a tramitação de eventual ação penal, dada à necessidade dos autos processuais, como audiência de instrução e de julgamento e, também, a realização de perícia e comparecimento nas audiências. Ademais, não há vaga no Hospital Nosso Lar, em Campo Grande, conforme informado. Desse modo, determino a imediata transferência de C.V.D.F. para o setor de saúde da Penitenciária", O documento segue com a seguinte informação: "Ante aparente incapacidade do réu, e para auxilia-lo da defesa de seus interesses e na proteção de seu patriômio, nomeio como curador provisório, o defensor púbilco, Cícero Feitosa de Lima".

Conforme noticiado pelo DouradosAgora no dia 8 de dezembro de 2017, Pierina Maria D' Amico, de 60 anos, foi morta na residência no Parque Alvorada, em Dourados.

O crime foi descoberto depois que uma pessoa avistou uma mão sobre a calçada, na Rua Antônio Espoladore, em frente a residência da veterinária. A Polícia Militar foi acionada, isolou o local e acionou a Polícia Civil que tocou a campainha da casa. O filho da veterinária, visivelmente alterado, apareceu com as mãos para o alto mas não soube dizer o paradeiro da mãe nem sobre onde estavam as chaves e controle do portão.

No interior da casa, policiais civis e militares, juntamente com o perito criminal André Kiyoshi, encontraram o corpo da veterinária, que foi esquartejada. Na residência, segundo a polícia, havia sinais de que a vítima reagiu aos ataques e tentou se defender. O DouradosAgora esteve no local e acompanhou o caso.

Segundo a polícia, o filho dela sofre de esquizofrenia. Ele foi encaminhado, à época, para hospital onde seguiu internado. Após a Audiência de Custódia no Fórum, a Justiça requereu transferência imediata do homem para o Hospital Psiquiátrico Nosso Lar, em Campo Grande, que rejeitou o pedido por falta de vagas.

Informações ou denúncias que possam ajudar o trabalho policial, devem ser repassadas pelos telefones: Polícia Militar: 190; Polícia Rodoviária Federal: 191; Polícia Militar Rodoviária Estadual (PMRE): 3421.0014; SIG: 3411.8080; DOF: 3411.8080; Defron: 3410.4800 e 3410.4800; Polícia Federal: 3410.1700 e 3420.1757; Polícia Civil - 1º Distrito Policial: 3411.8060; Polícia Civil, 2º Distrito Policial: 3424.6911 e 3424.5633; Guarda Municipal: 199; Polícia Militar Ambiental (PMA): 3357-1500– 9905-7763 - vivo – WhatsApp/ 9106-8628 - Claro / 8171-4270 - (Tim)/ 8475-0553 (Oi).


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Você é a favor do porte de armas para qualquer pessoa?

Sim

Não

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados