09.11.2017 | 09h11 - Atualizado em 09.11.2017 | 09h13
Tamanho do texto A- A+

Mostra coletiva “Novembro Negro – Expressões Culturais Afrobrasileiras” acontece no Centro Cultural

Com ações voltadas para a reflexão do mês da Consciência Negra, acontece a mostra coletiva “Novembro Negro – Expressões Culturais Afrobrasileiras” nesta sexta-feira (10.11)), das 9h às 17h, no Centro Cultural José Octavio Guizzo.

Leonardo Mareco – Transporte Coletivo

A mostra ficará aberta ao público até 17 de novembro. O evento é uma realização da Gerência de Difusão de Programas Culturais, da Fundação de Cultura do Estado de Mato Grosso do Sul (FCMS), por intermédio do Núcleo de Artes Visuais em parceria com o Conselho dos Direitos do Negro, do Fórum Permanente das Entidades do Movimento Negro, da Subsecretaria da Promoção da Igualdade Racial e da Secretaria de Cultura e Cidadania.

 Durante o evento haverão as mais variadas expressões artísticas: performance, poesia Rapper, arte visual, representações coletivas com tecidos, como o Projeto Abayomi/Bonecas Pretas, Os Turbantes/Customização, instrumentos sonoros como os Berimbaus e suas gingas, de alguns grupos de Capoeira e a oficina “o Desenho pela Palavra”.

Abayomi – Bonecas Negras

Temos o que pensar sobre expressões como: Black Friday, A nota preta, Agosto Lilás, Setembro Amarelo, Outubro Rosa, e por que não “Novembro Negro”? Neste mês que no seu curso traz ações que reverberam a existência passada, com referências a um sistema escravocrata brasileiro, que legou a nossa sociedade e, principalmente, aos descendentes de matriz africana na diáspora brasileira, muitas dificuldades de sobrevivência humana e social e que conduziram a desdobramentos lastimáveis.

O Brasil aponta, busca e deve reparações, mesmo com conquistas ainda tímidas. Esta Coletiva apresenta ao público, a potencialidade dos jovens artistas presentes, a segurança dos mais experientes, cada um com suas linguagens artísticas, referenciadas a questão principal como são os danosos efeitos raciais e desiguais, para esse grupamento social. Entretanto, agindo com resiliência, mesmo que na maioria do trajeto, com a face da invisibilidade racial atingindo duramente, por vários aspectos, seus avanços, como que historicamente, não fizesse parte da construção laboriosa deste País.

Thais Lino – Deus fez a Nigéria

Politicamente por instrução, o Brasil está na década dos Afrodescendentes, e deverá avançar para o reconhecimento, com justiça e propiciar mais desenvolvimento aos que estão nesta diáspora, refletindo todo esse processo, que caracterizou este panorama social.

Para o curador da mostra e gestor de aAte e Cultura da FCMS, Ilacir Galvão, o objetivo da mostra é tornar mais visível as possibilidades alternativas culturais de afrodescendência. “Essa coletiva apresenta ao público expressões culturais afro-brasileiras revelando a potencialidade dos jovens artistas negros e a segurança dos mais experientes cada um com suas linguagens artísticas”, aponta Galvão.

A mostra coletiva “Novembro Negro – Expressões Culturais Afrobrasileiras” abre no dia 10 de novembro com atividades artísticas e culturais, das 9h às 17h, no Centro Cultural José Octávio Guizzo (rua 26 de Agosto, 453 Centro) e estará aberta ao público até o dia 17 de novembro.

André Messias – Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS)

Fotos: Divulgação


Voltar 




Preencha o formulário clicando no botão abaixo e seja o primeiro a comentar esta matéria.
Comente está matéria

Sua Opinião

Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para Governador de MS?

André Puccinelli (PMDB)

Reinaldo Azambuja (PSDB)

Odilon de Oliveira (PDT)

  • votar
  • parcial
Copyright © 2012 Jornal do Ônibus - Todos os direitos reservados