Domingo, 20 de Janeiro de 2019

DESTAQUE
Domingo, 02 de Dezembro de 2018, 08h:12

Doce Lar

Cidade une forças contra o déficit de moradias

Redação

Com o envolvimento dos governos federal, estadual e municipal, e audacioso planejamento técnico-financeiro, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) está iniciando a grande arrancada de Campo Grande para promover o mais amplo e eficiente combate ao déficit habitacional de sua história. Com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e a Caixa Econômica Federal (CEF), representada pelo superintendente regional Evandro Narciso de Lima, o prefeito campograndense sacramentou na última quarta-feira, 28, o primeiro de uma série de empreendimentos que vão garantir a realização do sonho da casa própria para milhares de famílias.

O contrato assinado pelas autoridades prevê a edificação de 300 moradias de interesse social no Jardim Canguru, com investimentos que totalizam R$ 5 milhões 094 mil 482,29.  O governo federal, por meio da CEF, entra com R$ 24 milhões, enquanto o Estado vai desembolsar R$ 5 milhões 094 mil 482,29 e o Município os restantes R$ 3 milhões, correspondentes aos custos de infraestrutura externa e à cedência do terreno.

  Calcula-se que o déficit de moradias na capital esteja minimamente entre 15 mil a 20 mil famílias Diante dessa demanda, acumulada há mais de duas décadas por uma cidade que cresce velozmente e já encosta na casa de um milhão de habitantes, o prefeito considera que, sem parcerias, seria impossível a Prefeitura assumir uma conta desse tamanho. O primeiro passo vitorioso foi a adesão entusiasmada do governador. Em seguida, Marquinhos e sua equipe atacaram Brasília, com projetos da Agência Municipal de Habitação (Emha) no Ministério das Cidades e sucessivas audiências e articulações com a bancada federal e nos ministérios.

IMG_9866-Copy.jpg

 

Marquinhos relata que na esteira desse esforço a Prefeitura já investiu cerca de R$ 3 milhões e contou com a contrapartida do governo estadual para construir mais de duas mil casas. "É pouco. Entretanto, se os gestores que me antecederam tivessem feito duas mil unidades por ano, hoje teríamos 12 mil unidades entregues e um déficit de moradias mito menor", calcula. Recentemente, ele e Reinaldo Azambuja fizeram a entrega de habitações populares no Conjunto Bom Retiro, mais um fruto da parceria.  

  LACUNA SOCIAL - Azambuja diz que a principal conquista é preencher uma das lacunas sociais mais dramáticas da comunidade. Exalta o empenho e a capacidade da parceria que a Emha, a CEWF e a Agência Estadual de Habitação (Agehab) protagonizam. "Hoje, temos o melhor resultado do País em construção habitacional. A parceria continuará e, a partir de janeiro do ano que vem, teremos mais quatro anos para seguir investindo na melhoria da qualidade de vida da população", compromete-se Azambuja.

Por seu turno, o superintendente da CEF também enalteceu a soma vitoriosa de esforços e contribuições técnicas dos parceiros no projeto. "A Prefeitura teve uma participação expressiva para a construção dessas 300 unidades habitacionais, com a cedência do terreno. O governo estadual também foi decisivo com sua contrapartida. Todos fizeram bem sua parte e as coisas aconteceram, tornando realidade o sonho da casa própria para que centenas de pessoas iniciem vida nova", enfatiza.

Segundo a Emha, o projeto do Condomínio Residencial Jardim Canguru será executado no quadrilátero do cruzamento entre as ruas Catiguá e Betóia. As famílias selecionadas estarão enquadradas no Faixa 1, que define o atendimento a pessoas com renda familiar de até R$ 1,8 mil. Os apartamentos, cada um com 47,01 m² cada, terão dois quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. Na área de lazer, o residencial contará com 1.356,03 metros quadrados para quadra de areia, playground e quiosque.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370