Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

ECONOMIA
Segunda-feira, 07 de Outubro de 2019, 09h:45

inflação

Estimativa do mercado financeiro para a inflação de 2019 cai para 3,42%

Projeção da alta de preços para este ano tem o nono ajuste consecutivo, de acordo com o Boletim Focus; previsão de crescimento do PIB é mantida em 0,87%

veja.com

Caso feche o ano a 3,42%, inflação ficará abaixo do centro da meta do governo, mas dentro da margem de erro (Reinaldo Canato/VEJA.com)

Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central estimam a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para este ano em 3,42%. Foi a nona revisão consecutiva do indicador para baixo, que estava em 3,43% na semana passada. Os dados estão no Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 7. Para os outros indicadores contidos no relatório, houve estabilidade nas previsões.

O IPCA projetado pelo Focus está abaixo do centro da meta deste ano, definida em 4,25% pelo Conselho Monetário Nacional. A taxa, no entanto, está dentro da margem de erro, que é de 1,5 ponto percentual para baixo ou para cima (2,75% a 5,75%). Na quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve divulgar a inflação oficial de setembro. No acumulado de 12 meses até agosto, última divulgação do indicador, o IPCA acumulado é de 3,43%.

Para 2020, o mercado também baixou a estimativa do IPCA, de 3,80% para 3,70%. No próximo ano, a meta da inflação é de 4%, com tolerância entre 2,5% e 5,5%.

O Focus manteve as estimativas para o PIB do país. Em 2019, a economia brasileira deve expandir 0,87%, segundo os analistas de mercado financeiro consultados pelo BC. Para o ano que vem, a projeção é de alta de 2%. O PIB é a soma de todos os produtos e serviços produzidos em um país.

O próprio Banco Central tem uma perspectiva mais otimista, de alta de 0,90% no ano. O governo federal estima que o PIB cresça 0,85% ao ano. Qualquer uma das projeções, no entanto, representa desaceleração da economia, já que o PIB de 2018 foi de 1,1%. O indicador é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O mercado também manteve inalterada a expectativa da taxa básica de juros para 2019. A estimativa dos economistas é que a Selic fique em 4,75% ao ano. Atualmente, a Selic está em 5,5%, sua mínima histórica. O BC já indicou que deve continuar o ciclo de cortes para estimular a economia. A próxima reunião do Conselho de Política Monetária (Copom) está prevista para 30 de outubro.

A previsão para a taxa de câmbio também foi mantida pelos analistas consultados pelo BC. A estimativa do mercado é que a moeda termine 2019 vendida a 4 reais. Os patamares ainda estão abaixo da cotação atual. Na sexta-feira, o dólar fechou vendido a 4,06 reais. Para 2020, a projeção é de que o dólar feche o ano em 3,95 reais, mais alta que na semana anterior, que era de 3,91 reais.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370