Caldeirão Político

Domingo, 30 de Dezembro de 2018, 06h:38

Com vitórias importantes, Marquinhos quer mais em 2019

Redação

O exercício de 2018 foi dos mais desafiadores para a administração publica em Campo Grande. Além dos impactos generalizados da crise financeira que já se arrasta há mais de uma década, a capital começou a viver esta gestão, em 2017, amargando um sofrimento extra com o quadriênio da uma gestão tresloucada, que a lançou no fundo de um abismo de dívidas, falência dos serviços básicos, paralisação de investimentos e desacertos que provocaram violenta queda na auto-estima da população.

Os tempos, entretanto, são outros. As transformações positivas começaram a surgir no cenário que ontem era de desalento. No lugar de ruas infestadas de buracos e de lixo, as vias hoje estão sendo mantidas regularmente: pavimentação, tapa-buracos, limpeza e urbanização, com iniciativas que dão nova capacitação para a cidade atrair os investimentos. As mudanças começaram no ano passado, com a posse do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e da vice-prefeita Adriane Lopes (PEN). 

Resultado de imagem para MARQUINHOS TRAD PAVIMENTAÇÃO

A recuperação é gradual, mas progressiva e consistente. A Prefeitura restaurou sua credibilidade, reabilitou-se financeiramente e tem aval para operações financeiras de grande porte. É o que ficou demonstrado quando o prefeito buscou o providencial apoio da bancada federal e obteve o resgate de um projeto aprovado há mais de 10 anos junto ao Bid (Banco Interamericano de Desenvolvimento). 

O Revitaliza Campo Grande teve, só nesta primeira etapa, um aporte de quase R$ 60 milhões para obras de revitalização e requalificação do centro. O projeto que o Bid aprovou ainda prevê outras intervenções urbanas, o que vem reforçar o plano estratégico do prefeito de humanizar o desenvolvimento e melhorar as condições de acessibilidade, mobilidade e ocupação sócio-econômica.

Esse planejamento explica que além das obras de revitalização do centro e dos investimentos na modernização de importantes corredores viários - como as avenidas Mato Grosso, Via Parque e Costa e Gury Marques -, há outros projetos focalizando também os itens de sustentabilidade e de conforto para uma cidade que já está bem próxima da casa de um milhão de habitantes.

Resultado de imagem para MARQUINHOS TRAD REVIVA CENTRO

Outro sinal do fôlego empreendedor que está sendo restaurado é o interesse reaceso dos investidores. Com a nova fisionomia estética e os equipamentos urbanos, a cidade tornou-se ainda mais forte no fomento aos negócios. Só este ano a Prefeitura, por meio do colegiado que avalia as propostas empresariais, registrou a aprovação de 40 projetos em investimentos que somam quase R$ 157 milhões e cerca de 900 novos empregos de carteira assinada.

Na área social, a política publica de inclusão é uma das que servem de referência no Brasil, com medidas consistentes e projetos concebidos para os vários segmentos da população, como no empoderamento da mulher, na conscientização para prevenir e combater a violência doméstica e o abuso de incapaz, o fomento ao aprendizado profissionalizante, as oficinas de artesanato e música, os espaços de convivência para idosos, os Centros de Ensino Infantil (Ceinfs) reestruturados.

   A coleção de vitórias é expressiva. No entanto, o prefeito quer muito mais. E almeja para o terceiro ano de seu mandato a afirmação de políticas de gestão com resultados de excelência, especialmente na saúde, na educação e na qualificação urbana e ambiental. Para ele, uma cidade com a história e o potencial de Campo Grande não pode pensar pequeno. 

"O desenvolvimento que procuramos construir não é somente a expansão física e demográfica, não é somente a saúde financeira, é, antes de tudo, garantir a satisfação das pessoas, empoderá-las em suas necessidades básicas e garantir a todos as oportunidades de crescimento", define Marquinhos Trad.


Fonte: Jornal do Ônibus

Visite o website: jornaldoonibusms.com.br