Domingo, 26 de Janeiro de 2020

POLÍCIA
Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2020, 10h:39

Polícia

Cinco suspeitos de assassinar e esquartejar advogado são presos

Estadão

© Ronaldo César Capelari/Facebook Ronaldo César Capelari tinha 53 anos

Cinco pessoas foram presas, nesta quarta-feira, 15, suspeitas de assassinar o advogado Ronaldo César Capelari, de 53 anos, e esquartejar o corpo dele em Araçatuba, no interior de São Paulo. Entre os detidos estão uma jovem de 24 anos, que teria atraído o advogado para uma cilada, e o namorado dela, de 21 anos. A prisão do quinto suspeito aconteceu no fim da noite, e ele estava sendo interrogado na manhã desta quinta-feira, 16.

De acordo com a Polícia Civil, o plano dos suspeitos eram roubar dinheiro e a caminhoneta de Capelari, mas ele teria resistido e foi morto. Para se livrar do corpo, os criminosos o cortaram em pedaços.

O advogado desapareceu na noite de segunda-feira, 13, quando saiu de casa, em um condomínio, para ir a uma academia de natação. O veículo foi encontrado na manhã de terça, 14, em uma estrada de terra, no bairro Água Branca. No interior, a polícia detectou marcas de sangue.

O corpo foi encontrado à noite, em uma casa do mesmo bairro, dividido em pedaços acondicionados em três sacolas. O imóvel, que estava vazio, tinha sido alugado pela mulher de 24 anos. Ela acabou apontando o envolvimento dos outros suspeitos.

Conforme a Polícia Civil, a jovem disse que teria uma "relação próxima" com o advogado havia dois meses e comentara com o namorado sobre o fato de ele aparentar boa condição financeira. Teria sido dele a decisão de roubar a vítima. A jovem foi usada como "isca", marcando um encontro com o advogado. Quando ele chegou à casa, foi rendido e teria reagido.

A versão inicial da jovem dava conta de que os três rapazes, com idades entre 18 e 25 anos, mataram-no com facadas e golpes na cabeça. Depois, usaram um serrote para dividir o corpo. A investigação já apurou que o principal executor foi o namorado da vítima - ela o teria auxiliado no crime.

Os suspeitos tiveram as prisões decretadas e foram levados para unidades prisionais da região. Eles seriam ouvidos novamente nesta quinta, já que dois deles negam qualquer envolvimento no caso - a polícia apura se eles foram denunciados falsamente pela jovem. Até a manhã desta quinta, nenhum advogado havia assumido a defesa deles.

OAB

O advogado assassinado era casado e pai de dois filhos. O corpo foi sepultado no Cemitério Parque Jardim da Luz. A 28ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Araçatuba divulgou nota expressando condolências aos familiares, amigos e toda a comunidade advocatícia pela morte de Capelari. Informou ainda que está acompanhando as investigações policiais e empenhando todos os esforços na completa elucidação do caso.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370