Domingo, 26 de Maio de 2019

POLÍTICA
Quarta-feira, 13 de Março de 2019, 16h:36

Vereador Junior Longo

Uma a cada 10 pessoas no mundo tem doença renal, gratuidade no passe livre garante tratamento na Capital

Lei de autoria do vereador Junior Longo garante que a gratuidade será oferecida em todos os dias e horários da semana

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia estima-se que haja atualmente no mundo 850 milhões de pessoas com doença renal, decorrente de várias causas. A Doença Renal Crônica (DRC) causa pelo menos 2,4 milhões de mortes por ano, com uma taxa crescente de mortalidade.

Aqui em Campo Grande a Associação Beneficente Dos Renais Crônicos de Mato Grosso Do Sul (ABREC) em comemoração ao dia Mundial do Rim, que este ano acontece no dia 14 de março, próxima quinta-feira, realiza em parceria com a SBN (Sociedade Brasileira Nefrologia) a campanha Previna-se, que em 2019 tem como tema “Saúde dos Rins Para Todos”.

A campanha acontece no dia 14 de março na Praça Ary Coelho entre às 8h e às 16h e conta com ainda com a parceria da Secretaria Municipal De Saúde, Clínica Pró Renal, Universidade Unigran Capital, Pax Nacional e empresa Cirumed. No evento, aberto a toda a população serão prestados atendimentos de orientação médicas e nutricionais à população. Serão realizadas atividades como aferição de pressão arterial, cálculo de IMC (índice de massa corpórea), orientação para pacientes de risco (hipertensos e diabéticos) e esclarecimento sobre a doença renal crônica. Os pacientes diagnosticados com fatores de riscos para a doença serão avaliados e submetidos a exames mais específicos.

Desafios para a saúde renal: disparidades e acesso - Apesar do crescente diagnóstico de doenças renais, em todo o mundo, a disparidade e a desigualdade na saúde renal ainda são comuns. A DRC e a IRA frequentemente são agravadas pelas condições sociais, discriminação de gênero, falta de informação em relação às doenças renais, riscos ocupacionais, poluição do meio ambiente entre outros fatores.

O transplante é considerado o tratamento com melhor relação custo-benefício para a DRC. No entanto, o procedimento cirúrgico, a infraestrutura, a exigência de equipes altamente especializadas, disponibilidade de doadores de órgãos, necessidade de diálise durante a espera (quando não é possível o transplante), requisitos legais e o viés cultural existente em muitos países contra a doação de órgãos, representam importantes barreiras, tornando a diálise a única opção viável.

Conscientizar a população e preparar a saúde pública para diagnosticar precocemente um futuro quadro de problemas renais está entre as principais armas da comunidade médica para conter o avanço da doença e onde estão concentrados os maiores esforços atuais da nefrologia.

Porém, que já é portador de diagnosticado com moléstia renal grave, com prescrição contínua de diálise e hemodiálise ou transplantados renais, aqui em Campo Grande conta com o passe livre gratuito para fazer o tratamento, essa garantia é assegurada pela lei nº 6.124/18 de autoria do vereador Junior Longo.

No dia 13 de novembro de 2018 a lei foi sancionada pelo prefeito Marcos Trad na Câmara Municipal. A lei que institui o passe livre com a gratuidade das passagens de ônibus para os doentes renais crônicos.

Vale destacar que a gratuidade vale para todos os dias da semana, o ano inteiro, nos serviços de transporte coletivo público, permitidos ou concedidos pelo Município de Campo Grande/MS.

“Só quem vivencia o dia a dia sabe que a falta da hemodiálise significa ter a saúde comprometida e até mesmo o risco de morte é eminente. Sendo assim, apresentei o projeto de lei na Câmara para garantir o direito ao tratamento para os pacientes. A lei está em vigor e garante qualidade de vida aos pacientes”, destacou o vereador Junior Longo.

De acordo com a lei a gratuidade será oferecida em todos os dias e horários da semana, sem limite diário de viagens. A instituição do passe livre será da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), nos termos da Lei nº 3.593/98, e será efetuado mediante apresentação dos documentos constantes do Anexo I da Portaria da Agetran nº 32 de 15/05/2017.

Será necessária a apresentação dos seguintes documentos pessoais: cédula de identidade RG e CPF; Comprovante de residência, atualizado de no máximo 03 (três) meses; Receituário da medicação em uso; Exames médicos atualizados, que comprovem a enfermidade; Laudo médico contendo indicações sobre a condição do paciente e o CID-10; Parecer social elaborado por técnico da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Para a coordenadora da ABREC, Silmara Silva disse esta lei salvará vidas. “Muitos dos pacientes não tem como pagar pelo transporte para realizar a hemodiálise e dependem do passe livre para manterem sua saúde em dia. Agora os renais crônicos da Capital estão amparados para dar continuidade em seus tratamentos”.

Os vereadores Otávio Trad e Betinho Santana também assinaram a Lei nº 6.124/18 juntamente com o vereador Junior Longo.

“A prevenção é sempre a melhor opção. Convido a todos a participarem da ação na Praça Ary Coelho para receber orientação, serem avaliados e encaminhados a exames específicos, caso seja necessário. Então nesta quinta-feira (14) das 8 às 16 horas dê uma passada na Praça Ary Coelho”, finalizou Junior Longo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370