Governo dos Estados Unidos indica nova embaixadora no Brasil

publicidade

O governo dos Estados Unidos indicou nova embaixadora para ocupar o posto diplomático no Brasil. Elizabeth Frawley Bagley passará a chefiar a embaixada norte-americana em Brasília e comandar as relações diplomáticas entre os dois países.

Elizabeth Frawley Bagley Elizabeth Frawley Bagley

Elizabeth Frawley Bagley – U.S. State Department

Para a confirmação do posto, a indicação precisa ser apreciada e confirmada pelo Senado norte-americano. A embaixada não informou quando a votação deverá ocorrer. O partido Democrata possui, atualmente, 48 cadeiras no Senado, contra 50 do Partido Republicano. Entretanto, os dois senadores independentes da casa também apoiam Joe Biden, e a presidente da casa – que possui poder de desempate em votações acirradas – é a vice-presidente Kamala Harris, o que garante, na prática, maioria ao governo atual. Haverá eleições para o Senado norte-americano em novembro – as chamadas eleições mid-term.

Bagley é advogada e diplomata. Atualmente é diretora de uma empresa de telecomunicações no estado do Arizona. A única experiência como embaixadora foi no comando da representação diplomática dos EUA em Portugal.

A diplomata trabalhou como conselheira de secretários de Estado durante os governos democratas de Bill Clinton e Barack Obama. Durante a carreira diplomática, também ocupou postos de representante especial para a Assembleia das Nações Unidas e de parcerias globais.

Na avaliação da professora de relações internacionais da Pontifícia Universidade Católica do do Rio de Janeiro (PUC-RJ) Ana Garcia, a mudança tem que ser vista no contexto de rearrumação do governo de Joe Biden para enfrentar desafios no combate à pandemia, recuperação econômica e na política externa.

“No caso do Brasil, a mudança da embaixadora vem no ano eleitoral, e isso não é irrelevante no campo das relações exteriores. O Brasil é um país fundamental para os americanos no continente, porque é um país que ainda consegue ter força diplomática frente à China, algo que em outros países da América Latina tem sido difícil”, analisa.

A professora acrescenta que Elizabeth Bagley é bem situada dentro do Partido Democrata e tem grande histórico no setor privado. “O governo brasileiro deverá ter nessa nova embaixadora uma figura importante de referência para a aproximação com os Estados Unidos”, concluiu.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

.saibaMais{display: none;}#text-content p {margin-top: 0em;margin-bottom: 2em;text-align: justify;}.gd12 * {margin-bottom: 10px;font-size: 11px!important;}.svgArrow{display: none;}div#infocoweb_corpo img {height: auto!important;margin-top: 10px!important;margin-bottom: 10px!important;}

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Quirguistão: o novo governo trará mudanças aos cristãos?

Compartilhe essa Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Share on whatsapp

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade