Quarta-feira, 26 de Janeiro de 2022

COLUNISTAS
Sexta-feira, 26 de Novembro de 2021, 09h:33

Wilson Aquino

Resgatando e unindo amigos de 50 anos atrás

Wilson Aquino*

As passagens da vida, boas e más, vão ficando para trás tornando-se cada vez mais distantes com o passar do tempo. As melhores, por maiores que sejam as vontades para que voltem, são praticamente impossíveis de serem resgatadas, restando apenas a lembrança para tornar “vivo” os velhos e bons tempos passados. Essa, que tem sido uma “lei” na vida dos seres humanos, foi quebrada por um grupo de ex-estudantes da Escola Estadual Vespasiano Martins, de Campo Grande, da década de 70, que se esforçou e conseguiu reencontrar e reunir mais de 40 pessoas, que reataram as amizades.

 Desde 2017, elas se reúnem regularmente promovendo os mais agradáveis encontros, sempre regados a muita música, churrasco, puchero, peixada e uma infinidade de outros pratos. O indispensável, no entanto, é a convivência, a troca de alegrias e lembranças, muitas das quais se perderam ao longo desse meio século e que, aos poucos, estão sendo resgatadas.

thumbnail__DSC2020.jpg

 

O grupo do Vespasiano Martins começou a se reunir depois que o então instrutor da fanfarra da época (73/78)Wellington Amarier Nazaré retornou em 2017 a Campo Grande. Sentiu falta dos “velhos amigos” e encontrou primeiro aquela que mexera com seu coração naquela época: Rose Mary de Aguiar (hoje pedagoga aposentada) que passou a ter um papel fundamental no processo de “busca e captura” dos amigos. Um a um passou a ser encontrado e hoje a lista é superior a 40 e continua crescendo. E antes que alguém pergunte, Wellington e Rose, que estavam “livres”, reataram e reacenderam também o amor, que cresce tanto quanto o grupo.

Eufórico com a possibilidade de reencontrar boa parte daqueles que fizeram parte de uma das mais importantes fases de sua vida, o cabeleireiro aposentado, Jorge Mezzas, que mora em Mato Grosso, não pensou duas vezes e veio logo para o primeiro encontro do grupo depois da pandemia. Foi no dia 13 de novembro, em uma casa de festas no Bairro Aero Rancho.

O grupo preserva com respeito e carinho para com cada amigo e seus respectivos familiares. Por conta disso, tem sido comum nos encontros a presença de cônjuges, filhos e netos. “Esse relacionamento com pessoas de nosso passado, agora no presente, com uma nova roupagem e realidades diferentes não tem preço. Temos aqui um verdadeiro tesouro, do qual não pretendemos abrir mão jamais”, diz com orgulho o “mestre” Wellington.

O médico veterinário Marivaldo Miranda, servidor público do Estado (Agesul), é um dos únicos professores com quem alguns membros do grupo se relaciona há muitos anos. Trata-se de um grande amigo, um profissional que “nos” olha com aquele olhar de mestre, com carinho e sempre torcendo pelo melhor para seus alunos.

O grupo tornou-se tão unido que mesmo durante o período de pandemia, não se dispersou. Graças às mídias sociais, puderam manter viva a chama e o mais importante: ajudar nos momentos difíceis que todos atravessamos. Pode ser apenas coincidência, mas prefiro achar que foi graças a esses esforços e às orações a Deus, que o grupo sempre fez questão de louvar, que nenhuma alma do grupo foi perdida para o vírus.

Muitos membros do grupo foram solidários a outros que ficaram doentes, deprimidos e carentes por conta da reclusão, que abalou muitas pessoas e famílias de todas as idades durante o difícil período que só estamos terminando de atravessar agora.

Depois do encontro do dia 13, membros que por motivos alheios às suas vontades não puderam comparecer, já estão cobrando um novo encontro em dezembro, para fechar o ano de 2021 com chaves de ouro. E esse novo encontro certamente será realizado para fortalecer ainda mais os laços de amizade que não se perderam com o passar do tempo.

Esse reencontro tem inspirado outros grupos de estudantes, profissionais, amigos de infância e outros, a se reencontrarem e não permitirem mais que as amizades se dissolvam com o tempo ou por qualquer outro motivo. Afinal, boas amizades são as riquezas mais importantes que qualquer indivíduo pode juntar ao longo da vida. (Permitida a republicação gratuita em qualquer veículo de comunicação).

*Jornalista e Professor

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

icon-onibus

Rua Dr. Napoleão Laureano,13 - Bairro Santo Antonio - Campo Grande/MS

fn.jornaldoonibus@hotmail.com - CEP: 79100-370