Grávida de 8 meses é espancada a socos e tijoladas pelo marido em Campo Grande

(Henrique Arakaki, Midiamax)

publicidade

Jornal Midiamax

A polícia foi acionada nessa quarta-feira (26) para socorre uma grávida de 8 meses, que havia sido agredida pelo seu marido em Campo Grande. O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Os policiais chegaram na residência da vítima de 33 anos, por volta das 14 horas. Eles encontraram a grávida com ferimentos e ela contou que seu marido em estado de fúria começou a discutir sem motivos aparentes, a agredindo com socos na cabeça, chutes.

O homem ainda arremessou um tijolo contra ela acertando a sua perna, o que causou vários ferimentos. A vítima ainda contou que o marido com quem convive há 3 anos é sempre agressivo com ela. O autor já havia fugido e não foi encontrado.

Denuncie!

Em Campo Grande, a Casa da Mulher Brasileira está localizada na Rua Brasília, s/n, no Jardim Imá, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana.

Funcionam na Casa da Mulher Brasileira uma Delegacia Especializada; a Defensoria Pública; o Ministério Público; a Vara Judicial de Medidas Protetivas; atendimento social e psicológico; alojamento; espaço de cuidado das crianças – brinquedoteca; Patrulha Maria da Penha e Guarda Municipal. É possível ligar para 153.

Leia Também:  Instituto AgriHub divulga programação de lives para os meses de junho e julho

Existem ainda dois números para contato: 180, que garante o anonimato de quem liga, e o 190. Importante lembrar que a Central de Atendimento à Mulher – 180 -, é um canal de atendimento telefônico, com foco no acolhimento, na orientação e no encaminhamento para os diversos serviços da rede de enfrentamento à violência contra as mulheres em todo o Brasil, mas não serve para emergências.

As ligações para o número 180 podem ser feitas por telefone móvel ou fixo, particular ou público. O serviço funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, inclusive durante os finais de semana e feriados, já que a violência contra a mulher no Brasil é um problema sério no país.

COMENTE ABAIXO:

Compartilhe essa Notícia

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade