‘Qualificação profissional é a chave do desenvolvimento’, afirma Eduardo Riedel

publicidade

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Riedel, foi entrevistado na segunda-feira(27) pelo jornalista Tatá Marques no programa ‘Café com Blink’, falando sobre sua carreira e as principais propostas que serão apresentadas a população do Mato Grosso do Sul.

Riedel começou falando sobre os motivos que o levaram a se candidatar ao Governo do Estado. Segundo ele, a decisão foi fruto de sua história de vida e de um longo trabalho de gestão na iniciativa privada e na vida pública que o levou a representar um novo modelo de gestão de trabalho. “Não sou um político de carteirinha, com nome e sobrenome, não é meu perfil. Represento um novo modelo de trabalho. Sou empresário e produtor rural, dediquei minha vida à minha formação e aos negócios da minha família, e também trabalhando pelo coletivo em instituições. Passei pelo Sindicato Rural de Maracaju, pela Famasul, fui vice-presidente da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária (CNA), presidi o SENAI, além de ter tido a grande experiência à frente das secretarias estaduais de Governo e de Infraestrutura nos últimos sete anos. Tudo isso é um acúmulo de conhecimento, preparo e determinação para trabalhar pelo coletivo”.

Um dos pontos mais importantes da entrevista girou sobre os planos de Riedel para a geração de empregos e a qualificação profissional. Segundo ele, Mato Grosso do Sul tem hoje cerca de 20 mil vagas de empregos abertas devido ao bom ambiente de negócios e de atração de empresas e indústrias criado no últimos anos. No entanto, os empresários dizem que não conseguem ocupar estas vagas. Por que isso ocorre? Riedel explica.

Leia Também:  Riedel: ‘Neste momento de dificuldade, Governo tem que ser parceiro da população’

“Quando olhamos o perfil destas famílias que hoje dependem de ajuda do Governo e cujos membros, muitas vezes, estão desempregados, vemos que o erro ocorreu lá atrás, no processo histórico, de formação e qualificação profissional de toda uma geração. Não podemos errar de novo. Como resolver? Não tem outro caminho: educação, capacitação, qualificação dos sul-mato-grossenses, especialmente dos jovens. Temos que massificar este processo, para que estas oportunidades que dão dignidade e renda sejam aproveitadas. Este é o grande desafio e temos condições de enfrenta-lo. Apesar de MS ter a 3ª menos taxa de desemprego do país, muita gente está desempregada por falta de qualificação. Vamos buscar alternativas para estas pessoas”, assegurou.

MUNICIPALISMO

Riedel também explicou o conceito de “Municipalismo”, que conduz suas práticas de gestão. “Há 45 anos todos falam disso. Mas nos últimos sete anos nós colocamos este conceito em prática no MS. Municipalismo é definir prioridades para cada município e aplicar investimentos para que estas prioridades sejam atendidas. Isso destrava os gargalos dos municípios. Nosso plano de governo é individualizado para cada município, pois sabemos as angústias de cada um deles. Sabemos a demanda de cada um”.

O pré-candidato explicou como a Municipalismo tem afetado a Saúde e a Educação no MS, e o que vem por aí ainda. Segundo ele, a interiorização da Saúde é um exemplo desta estratégia. “Assumimos um governo com 500 mil pessoas na fila de procedimentos, por isso realizamos a Caravana da Saúde. Depois tivemos a pandemia, que comprometeu o sistema de saúde, mas que foi enfrentada com investimentos sólidos. Na semana passada vimos a inauguração do Hospital Regional de três Lagoas. O de Dourados está em andamento me o de Ponta Porã já está funcionando. Isso fez com que o atendimento de pacientes do interior em Campo Grande caísse de 45% para 9%”.

Leia Também:  Riedel percorre municípios ouvindo demandas e discutindo diversidade de MS

Qual o próximo passo? Riedel explica. “Vamos concluir a interiorização e atacar uma das principais causas da insatisfação das pessoas: a atenção básica, o posto de saúde que está caindo aos pedaços, as pessoas aguardando horas na fila, sem médico para atender. Tem municípios que fizeram o dever de casa e dão show na atenção primária, com mais de 95% de cobertura, e tem municípios que não fizeram bem este trabalho. Vamos ter que cobrar duramente este resultado, pois eles são o início da complexa administração da saúde”.

Na educação, Eduardo Riedel destacou o processo de ampliação da educação em tempo integral. Para ele, trata-se de uma grande ferramenta de transformação. “Estamos com 40% dos alunos estudando na rede de tempo integral. Temos o MS Alfabetiza, ajudando os municípios com formação continuada de professores e material didático para alfabetizar nossas crianças com qualidade. Temos também o MS Matemática, com apoio financeiro e recursos técnico aos municípios. Isso é fruto de uma gestão municipalista”, explica.

Outra grande transformação destacada por Riedel na educação é a rede de infovias digitais, com 7 mil km de fibra ótica, que será instalada no Estado e que terá um impacto enorme no setor.

COMENTE ABAIXO:

Compartilhe essa Notícia

publicidade